CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > A > Azinhaga Padre José Figueira de Ornelas
 

 

 

Azinhaga Padre José Figueira de Ornelas

 

Caminho existente no sítio da Ribeira Fernanda, freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, ligando a rua prof. José Joaquim da Costa ao caminho que vai desde o lugar do Jogo da Bola à Capela das Almas e que em 19 de Julho de 1997, para além de ser inaugurado o alargamento de grande parte do seu trajecto, passou a ostentar o nome do Padre José Figueira de Ornelas.

 

Até 19 de Julho de 1997, dia em que foram colocadas as placas toponímicas com o nome do Padre José de Ornelas era este caminho conhecido como caminho da Ribeira Fernanda.
Nos anos 30, encontrava-se em muito más condições e na sua maior parte em terra, situação que era causadora de grandes incómodos, principalmente durante o Inverno. Por esse facto, em 1934, durante o mandato de Francisco Ferreira à frente da presidência da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, o Padre Ornelas pede o seu calcetamento, obtendo não só a sua concordância como a incumbência de o realizar, devendo depois apresentar as respectivas contas à Câmara. Com efeito, na sessão camarária de 3 de Agosto de 1934 surge uma deliberação autorizando diversas reparações na estrada municipal ao sítio da Ribeira Fernanda, que se supõe ser a resposta dada ao pedido, provavelmente verbal, formulado pelo Padre Ornelas. Por outro lado, na sessão camarária de 9 de Novembro de 1934, surge referenciada uma autorização de pagamento a António Figueira de Ornelas, irmão do Padre Ornelas, destinado aos operários e materiais empregues nas obras de reparação da estrada 256 ao sítio da Ribeira Fernanda, o que confirma não só a realização das obras solicitadas como a forma utilizada para a sua concretização.
Nessa altura para além do calcetamento foram feitos melhoramentos nos muros de suporte, bem como foi construída uma levada para escoamento de águas pluviais. Por fazer ficou, na altura o seu alargamento. A este propósito, um dos vereadores da Câmara ao comentar a qualidade e perfeição da obra realizada dizia que se fosse mais larguinha, assemelhar-se-ia a uma estrada da cidade.

O alargamento da Azinhaga
O tempo entretanto foi passando e, com ele, a necessidade e o desejo da população poder ver concretizado o alvitre lançado nos anos trinta, pelo vereador camarário. Com efeito, servindo este caminho inúmeros agregados familiares, impunha-se dotá-lo de largura suficiente para permitir a circulação automóvel.
Tal como nos anos trinta, em 1990 o Padre Ornelas volta a liderar a vontade popular e apresenta na Junta de Freguesia do Estreito um abaixo-assinado solicitando o seu alargamento de modo a que caiba ao menos um táxi, atenta a necessidade dos moradores da dita travessa, como pode suceder numa urgência para o Hospital, chamada de médico, ou Sr. Vigário e outros benefícios. Para o referido melhoramento, a população comprometia-se a dar a mão-de-obra e, eventualmente, a prestar, ainda algum apoio financeiro, necessitando apenas dos materiais.
Apesar deste pedido ter merecido a maior atenção, a indisponibilidade da Junta de Freguesia da altura, quer em termos financeiros quer em termos de materiais impediu a sua concretização, situação que seria ultrapassada em 1997.
Com o fim das obras e consequentemente com a sua inauguração, verificada a 19 de Julho de 1997, foi também prestada, neste dia, uma homenagem, através da colocação de placas toponímicas com o nome do Padre José Figueira de Ornelas, um homem que para além de ser uma importante referência da localidade, e da freguesia do Estreito, foi também um grande impulsionador das obras em causa.

A atribuição do nome à Azinhaga
A atribuição do nome do Padre José Figueira de Ornelas a esta azinhaga teve lugar na sessão camarária de  27 de Fevereiro de 1997, com base numa proposta da Junta de Freguesia do Estreito, deliberada em 4 de Maio de 1995.

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura