CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > E > Estrada José Avelino Pinto
 

 

 

 

Estrada José Avelino Pinto

 

 

Arruamento que liga o Castelejo à Fajã das Galinhas, um núcleo populacional pertencente à freguesia do Estreito de Câmara de Lobos que, ao longo dos anos, se caracterizou pelo seu isolamento e dificuldades de acesso.

Ainda que em 1971 tivesse havido uma primeira iniciativa de construir uma estrada entre o Castelejo e a Fajã das Galinhas, [1] e na sua reunião de 18 de Janeiro de 1979, a CMCL tivesse deliberado convidar o Eng. Jorge Jardim Fernandes para elaborar o projecto da estrada Castelejo - Fajã das Galinhas, só 1993, com a deliberação do Governo Regional no sentido de construir uma pequena estrada que permitisse o acesso a automóvel [2], [3], iniciar-se-ia um novo ciclo de vida e de desenvolvimento para a sua população. Com efeito,  em finais de Setembro, princípios de Outubro de 1996, a sua construção viria a ser adjudicada pelo valor de 311 mil contos [4] e a 9 de Setembro de 1999 teria lugar a sua inauguração [5], [6],altura em que também são descerradas as placas toponímicas dando o nome de José Avelino Pinto a este arruamento, conforme deliberação do Governo regional da Madeira, na sua reunião de 4 de Junho de 1998 [7].

 

 


 

No seu discurso de inauguração, Alberto João Jardim referir-se-ia a esta estrada como um empreendimento que muitos, até há bem pouco tempo, classificaram de impossível - devido ao obstáculo que era a orografia da zona.
Ao se referir ao nome de José Avelino Pinto dado a este arruamento Alberto João diria que a ele também se deve esta estrada (...). Ele, juntamente com o senhor secretário regional do Equipamento Social, apesar de muita gente dizer que não se podia fazer a estrada, o senhor secretário e o senhor José Avelino Pinto combinaram entre eles tentar começar, depois foram os cálculos, depois foram as máquinas e o pessoal do senhor José Avelino Pinto, razão suficiente para que a estrada ficasse com o seu nome, mas também a maior homenagem que podíamos fazer a um grande empresário, que foi um homem do povo..
A construção desta estrada, com uma extensão de 1700 metros custou ao Governo Regional cerca de 440 mil contos.
Na altura da inauguração, no ar ficaram as hipóteses de a prolongar até ao Curral das Freiras, pese o facto das opções serem mais favoráveis no sentido da construção de um túnel entre o Curral das Freiras e o Funchal, uma vez que resolveria um problema duplo:  rápido acesso até ao Funchal, em cerca de seis minutos e, ao mesmo tempo, rápido acesso à sede do concelho, Câmara de Lobos.

Contudo, isto não impediria que a população viesse posteriormente a reivindicar, de acordo com o Diário de Notícias de 30 de Setembro de 2001, através de um abaixo-assinado,  o seu prolongamento por mais cerca de 200 metros, por forma a servir vários casais, zonas agrícola; facilitar as viagens dos autocarros que se previam poderem servir a localidade e ainda criar desvio para manobras de veículos pesados e estacionamento dos residentes.

Antes da decisão da construção do novo arruamento entre o Castelejo e a Fajã das Galinhas, outros projectos ou vontades terão existido. Com efeito, na sua reunião de 18 de Janeiro de 1979, a CMCL deliberaria convidar o Eng. Jorge Jardim Fernandes para elaborar o projecto da estrada Castelejo - Fajã das Galinhas.

Na sua reunião de 16 de Setembro de 1993, o Governo Regional da Madeira, havia de deliberar abrir em colaboração com a Câmara Municipal de Câmara de Lobos, dentro de breves semanas, um via estreita que dê acesso ao sítio da Fajã das Galinhas, freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

A estrada José Avelino Pinto tem comunicação com a Vereda dos Bois; com a Vereda do Curral Velho e com a Vereda da Fajã das Galinhas, um pequeno trajecto da velha acessibilidade à Fajã das Galinhas que não ficou integrada no trajecto da estrada de José Avelino Pinto, a quando da sua construção.

 

Nas freguesias do Caniço e de Câmara de Lobos, José Avelino Pinto haveria também de ver o seu nome atribuído, a uma outra estrada, a que liga o Caminho das Heras à Estrada João Gonçalves Zarco, na zona do Garachico.

Antes da deliberação camarária que haveria de dar o nome de José Avelino Pinto ao arruamento de Câmara de Lobos, uma outra deliberação com data de 28 de Maio de 1998, havia dado o nome deste empresário, mas sem concretização posterior, ao arruamento, na altura em construção, entre a Ponte dos Frades ao Caminho Grande e Preces, com ramal para a ponte do Sabino.

Segundo palavras do presidente da Câmara esta deliberação tratava-se de uma simples homenagem a uma das figuras que mais contribuiu para o desenvolvimento deste concelho e que enquanto câmara-lobense e empresário sempre pautou o seu relacionamento com a autarquia pela grandiosidade do gesto e pela dignidade da palavra. Demonstrou inequivocamente ser um grande amigo do concelho, expresso na valiosa e espontânea ajuda que prestou às mais variadas instituições, organismos e associações de Câmara de Lobos.

 

 

[1]   Reunião da CMCL de 13 de Outubro de 1971.

[2]   Deliberação do Governo Regional da Madeira de 16 de Setembro de 1993.

[3]  Na sua edição de 17 de Setembro de 1993, o Jornal da Madeira dá conta de que o Governo Regional havia decidido abrir uma pequena estrada de ligação à Fajã das Galinhas, na freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

[4]  Livro de vereações da CMCL de 10 de Outubro de 1996. Nesta reunião é deliberado Inteirar das Resoluções  do Governo Regional relativas à Adjudicação da construção do acesso à Fajã das Galinhas, pelo valor de 311 mil contos.

[5]   Diário de Notícias, 6 de Junho de 1999. Nesta edição do Diário de Notícias é noticiada a forma como decorreu a inauguração da estrada entre a  Ribeira do Cidrão e a Fajã Escura, no Curral das Freiras, ocorrida no dia anterior. Na altura ficaria prometida a estrada de ligação entre a freguesia do Curral das Freiras e a Fajã das Galinhas e sem se comprometer com promessas no ar ficou a ideia a apresentar ao Secretário Regional do Equipamento Social, para quando houver dinheiro, fazer um túnel de ligação entre o Funchal e o Curral das Freiras, por forma a não só encurtar distancias como a ultrapassar os perigos da actual estrada. Orçaria este túnel em cerca de 5 milhões de contos. Relativamente à estrada inaugurada ela possui dois troços distintos, sendo estes a construção da segunda fase do troço da estrada regional 107 entre a Ponte da Ribeira e o Colmeal e ainda a construção do ramal para a Fajã Escura.

[6]   Jornal da Madeira, 10 de Setembro de 1999. Isolamento finalmente acabou. Inaugurada, estrada para a Fajã das Galinhas. Alberto João jardim prestou homenagem pública a José Avelino Pinto, um dos impulsionadores da nova estrada. A Fajã das Galinhas em Câmara de Lobos, um dos sítios mais remotos da Madeira pelo seu difícil acesso, assistiu ontem à inauguração da tão esperada estrada que faz a ligação com o sítio do Castelejo. Um empreendimento que muitos, até há bem pouco tempo, classificaram de "impossível" - devido ao obstáculo que era a orografia da zona - lembrou Alberto João jardim, durante a cerimónia de inauguração da nova via, mas que agora se toma realidade. Caso mesmo para o presidente do Governo Regional ter afirmado que "o mundo finalmente chega à Fajã das Galinhas". Uma estrada que recebe o nome do falecido empreiteiro que impulsionou a obra José Avelino Pinto - "porque a ele também se deve esta estrada". "Ele, juntamente com o senhor secretário regional do Equipamento Social, apesar de muita gente dizer que não se podia fazer a estrada, o senhor secretário e o senhor José Avelino Pinto combinaram entre eles' tentar começar, depois foram os cálculos, depois foram as máquinas e o pessoal do senhor José Avelino Pinto", recordou jardim no seu discurso. Razão suficiente para que a estrada ficasse com o seu nome, mas também a "maior homenagem que podíamos fazer a um grande empresário, que foi um homem do povo", disse Alberto João Jardim. E, por isso, um "exemplo" e um "desafio", segundo apontou, a ser seguido pelas pessoas da Fajã das Galinhas. A estrada ontem inaugurada custou ao Governo Regional cerca de 440 mil contos, ligando o Sítio do Castelejo a esta remota fajã, numa extensão total de 1700 metros de estrada alcatroada. No entanto, e instado a comentar sobre outros possíveis acessos nesta zona, Jardim referiu que  no que toca ao Curral das Freiras, do outro lado das montanhas - encontra-se em estudo um túnel para fazer a sua ligação até ao sítio do Ovil, já perto do Funchal. Uma solução que, na sua opinião, "resolve um problema duplo": rápido acesso até ao Funchal, em cerca de seis minutos e, ao mesmo tempo, rápido acesso à sede do concelho, Câmara de Lobos. "Penso que as pessoas estão inclinadas para essa opção", declarou o presidente do Governo Regional

[7]   Diário de Notícias de 5 de Junho de 1998.

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura