CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > E > Estrada Padre António Silvino Gonçalves de Andrade
 

 


 

Estrada Pe. António Silvino Gonçalves de Andrade

 

Caminho existente na freguesia da Quinta Grande, estendendo-se entre a rua Prof. Alice do Carmo Gonçalves de Azevedo Pereira, no centro da Quinta Grande, e o Cabo Girão. Orçou a sua construção em 105 mil contos e foi inaugurada no dia 20 de Setembro de 1991. Na sua sessão de 9 de Julho de 1998, a Câmara Municipal de Câmara de Lobos atribuí-lhe o nome do Padre António Silvino Gonçalves de Andrade.

 

As obras de terraplanagem da estrada hoje denominada de padre António Silvino Gonçalves de Andrade, levadas a cabo pela Câmara Municipal de Câmara de Lobos, foram iniciadas no decurso de 1982, prolongando-se, no entanto, até por volta de 1985, não porque fosse muito extensa, mas porque as obras estiveram por largos períodos paradas.
Para a sua abertura, entre outros, haverá que destacar o papel de João de Carvalho, na altura presidente da Junta de Freguesia da Quinta Grande, uma vez que terá sido um dos seus principais impulsionadores.
Depois de terraplenada, permaneceria a estrada em terra até o início do ano de 1990.

 

A pavimentação da estrada
Na sua sessão camarária de 30 de Novembro de 1988, foi deliberado abrir concurso para a elaboração de projecto destinado às obras de  beneficiação e pavimentação, que seria adjudicado, na sessão camarária de 29 de Dezembro de 1988, à CEPROMAD - Centro de Estudos e Projectos da Madeira Lda.
A sua construção foi integrada no plano de actividades camarárias para o ano económico de 1989, com a designação de projecto de beneficiação e pavimentação da estrada municipal que liga a Igreja da Quinta Grande ao Cabo Girão, designação essa que, por deliberação camarária de 14 de Setembro de 1989, passa, ainda que necessitando de autorização da Assembleia Municipal, para a de construção do caminho municipal entre o sítio da Igreja e Cabo Girão - 1ª fase.
Ainda na sessão camarária de 14 de Setembro de 1989 é deliberado solicitar à Assembleia Municipal a necessária autorização para que os encargos financeiros com a 1ª fase da construção desta estrada fosse repartida por várias gerências.
A 4 de Outubro de 1989 foi deliberado abrir concurso público para adjudicação da empreitada de construção desta estrada, sendo de 93.087.297$00 a respectiva base de licitação. Na sessão de 30 de Novembro de 1989 a obra é adjudicada à empresa Gaspar de Andrade & Filhos Lda. pelo valor de 81.290.764$00, sendo o respectivo contrato assinado a 31 de Janeiro do ano seguinte.
Ainda que em 30 de Agosto de 1991, um ofício do construtor desse por concluídas, nesse dia, as suas obras, e por isso pudesse a estrada ser inaugurada, algumas obras ter-se-ão ainda continuado a fazer. A 6 de Fevereiro de 1992, é solicitada pelo construtor a sua recepção provisória e a 29 de Dezembro de 1993 tem lugar a sua recepção definitiva.
A sua inauguração teve lugar no dia 20 de Setembro de 1991, num acto presidido por Alberto João Jardim, presidente do Governo Regional da Madeira.

 

A denominação da Rua
Desde a sua abertura foi esta estrada conhecida por caminho do Aviceiro, em virtude de, no seu percurso, atravessar o sítio da freguesia da Quinta Grande, com esta denominação, sítio esse onde nasceu, em 1988, o hoje denominado
Grupo de Folclore da Casa do Povo da Quinta Grande e onde a tradição popular referencia que, em tempos, terá existido uma capela denominada da Cadeirinha.
Por proposta da Junta de Freguesia da Quinta Grande, a Câmara Municipal de Câmara de Lobos, na sua sessão de 9 de Julho de 1998, deliberou atribuir a este arruamento a denominação de estrada Padre António Silvino Gonçalves de Andrade. Ainda que a deliberação seja omissa relativamente às razões que levaram a Junta de Freguesia a formular a proposta, são tidas como razões para esta homenagem, a  estreita relação do homenageado com esta freguesia, onde foi pároco, onde tinha uma propriedade e onde viveu e na qual mandou erigir uma capela em honra de Santo António. Para além disso, a figura do padre António Silvino Gonçalves de Andrade é também enriquecida pelo facto de ter sido, ainda que por pouco tempo, presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos. Será preciso também não esquecer que apesar de hoje a Quinta Grande ser uma freguesia autónoma, até 1848 não existia como freguesia, mas sim fazendo parte do Campanário, o que faz com que facilmente se compreenda que algumas personagens, como é o caso do padre António Silvino Gonçalves de Andrade, tendo nascido na freguesia do Campanário, na altura em que a Quinta Grande lhe pertencia, sejam também aceites e reconhecidas como suas.


 

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura