CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > P > Praça de Camões
 

 

 

Praça de Camões

 

 

 

Denominação dada por deliberação camarária de 6 de Fevereiro de 1890 ao antigo passeio público, situado junto à rua de acesso ao cais da vila de Câmara de Lobos, ao lado da primitiva praça do peixe [1].

Em Outubro de 1927, numa iniciativa da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, o antigo passeio da vila de Câmara de Lobos junto à praça de peixe, estava a ser transformado num largo, onde seria instalado um marco fontenário e cujos trabalhos de encaminhamento para água já se tinham iniciado [2].

Em finais de Janeiro de 1928, estava já concluído o rebaixamento do seu pavimento ou chão [3] e, em Março de 1928 já estaria em funcionamento o fontenário [4].

Em Setembro de 1928, perante o facto dos jacarandás, existentes no passeio público se encontrarem secos, a imprensa, sugere não só a sua substituição por plátanos, como o calcetamento do recinto [5], sugestão que leva a Câmara Municipal de Câmara de Lobos a, no mês de Fevereiro do ano seguinte, solicitar à Junta Geral o fornecimento de 20 plátanos para o arborizar [6].

Este passeio municipal, manteve-se durante vários anos com galerias, portas e devidamente arborizado. Contudo, em Setembro de 1937, dando-se cumprimento a uma deliberação camarária de 23 de Julho de 1937, foi este, devido ao mau estado em que se encontrava, mandado demolir e rebaixar. Mais tarde, em 1945, foi o referido local mandado ajardinar pela Câmara, assim se mantendo até que a falta de água com que se lutou nesta vila tornou impossível a existência do Jardim [7].

Em 1953, em consequência da construção de uma lota de peixe, este espaço não só é substancialmente reduzido como, é alvo de um diferendo opondo a Câmara Municipal e a Junta Central da Casa dos Pescadores, a propósito da titularidade da sua propriedade.

Sanado o diferendo, a construção da lota é construída e inaugurada a 15 de Junho de 1954.

Entretanto, em virtude das construção da lota, em Janeiro de 1954, o fontenário viria a ser removido e implantando numa praceta entretanto criada nos terrenos do antigo passeio não utilizados pela edificação, praceta essa que, por deliberação camarária de 14 de Abril de 1954, é alvo de calcetamento em calhau sobre argamassa.

Em 1982, esta praça, volta a sofrer novamente alterações resultantes da demolição da lota e de outros edifícios situados na sua proximidade e construção de um edifício destinado a entreposto frigorífico e lota e inaugurado a 30 de Novembro de 1982.

Em 2002, com a inauguração de um novo acesso à rua Nova da Praia, a praça de Camões deixa praticamente de existir.



[1]      in Livro de Vereações da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, reunião de 6 de Fevereiro de 1890. "Que o passeio público da vila fique chamado - Praça de Camões - e que ali se mande colocar uma lápide comemorativa da sua abertura, inscrevendo-se nela o nome do glorioso e imortal do nosso grande poeta [...]"

      O passeio público situava-se à margem da rua Serpa Pinto, hoje parcialmente ocupada pela praça do peixe.

[2]      Diário da Madeira, 4 de Outubro de 1927.

[3]      O Jornal, 29 de Janeiro de 1928.

[4]      O Jornal, 25 de Abril de 1928.

[5]      Jornal da Madeira, 20 de Setembro de 1928.

[6]      Diário de Notícias, 16 de Fevereiro de 1929.

[7]      Livro de vereações da CMCL, 25 de Novembro de1953.

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

 

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura